A Associação de Pais do Agrupamento Vertical de Escolas do Viso é uma estrutura federada, com estatutos próprios e reconhecida, sendo a mesma com publicação no Diário da Republica, sem fins lucrativos, cuja finalidade é congregar, coordenar, dinamizar, defender e representar, a nível do Agrupamento, o movimento associativo de pais e intervirá como parceiro social junto dos órgãos de soberania, autoridades e instituições de modo a possibilitar e facilitar o exercício do direito de cumprimento do dever que cabe aos pais e encarregados de educação, de orientarem e participarem ativamente como primeiros responsáveis, na educação integral dos seus filhos e educandos.
Independente, pluralista, respeita a Declaração Universal dos Direitos do Homem, defende e apoia a família.
É a forma organizada de os pais participarem nos órgãos de gestão da escola e de se integrarem ativamente na Comunidade Educativa dos seus filhos ou educandos, em igualdade de circunstâncias com os outros pares da comunidade. É a fórmula para construírem e viverem em parceria o Projecto Educativo da Escola.

Compete em primeira instância à Associação de Pais:

Velar pela Qualidade da Educação dos seus filhos ou educandos;
Representar os Pais e Encarregados de Educação junto do Conselho Executivo ou Direcção, no Conselho de Turma e no Conselho Pedagógico e Assembleia da Escola ou Agrupamento de Escolas;
Informar e aconselhar os Pais.



É nosso firme propósito contribuir para que os Pais e Encarregados de Educação participem mais ativamente na vida da Escola. A participação não é só um direito, mas acima de tudo um dever cívico a que os Pais não devem renunciar. Dever e direito esse, que é de todos e não apenas de alguns. Cabe-nos também a nós, Pais e Mães, tomar as iniciativas, que forem consideradas convenientes, no sentido de tornar a nossa Escola cada vez mais atraente, onde os nossos filhos se sintam felizes, adquiram os conhecimentos indispensáveis ao seu desenvolvimento integral e obtenham os níveis de formação académica a que se propõem.
Para isso, temos de ter uma Associação forte e bem representativa de todos os Pais e Encarregados de Educação dos Alunos que a frequentam.

Apelamos, por isso, à vossa adesão, quer inscrevendo-se na Associação, quer participando nas suas atividades e iniciativas que vierem a ser programadas e, bem assim, fazendo parte dos seus Órgãos Sociais, nos Cargos para que vierem a ser convidados.

sábado, 5 de maio de 2012

Os militares a prestar serviço em RC beneficiam de medidas especiais que servem de incentivos à prestação nesta forma de serviço militar e abrangem as seguintes modalidades:


  • Apoio à obtenção de habilitações académicas;
  • Apoio para a formação e certificação profissional;
  • Compensações financeiras e materiais;
  • Apoio à inserção no mercado de trabalho;
  • Apoio social.


Apoio à obtenção de habilitações académicas

  • Estatuto do Trabalhador-Estudante Aplicação do Estatuto Trabalhador-Estudante ressalvadas determinadas situações específicas. Os militares em RC serão dispensados, se o horário escolar assim o exigir, até oito horas semanais e podem ter dois dias de licença pela prestação de cada prova de avaliação;
  • Facilidades para a frequência de estudos Facilidades para a frequência de cursos do ensino secundário regular, recorrente ou profissional, com recursos a novas metodologias de ensino, tendo em vista a obtenção das habilitações académicas até ao 12º ano ou equivalente;
  • Contingente especial de acesso ao ensino superior Prioridade num contingente especial de 2,5% das vagas fixadas anualmente para o concurso nacional de acesso ao ensino superior público. Findo o contrato os militares mantêm este direito durante tantos anos quantos aqueles em que prestaram serviço;
  • Época especial de exames Benefício de uma época especial de exames nos diferentes níveis de ensino;
  • Programas de apoio ao estudo Programas de apoio ao estudo dos militares, nomeadamente, formação adequada na área das novas tecnologias de informação e disponibilidade de salas de estudo.


Apoio para a formação e certificação profissional

  • Formação profissional certificada É garantida aos militares em RC a formação profissional certificada adequada à sua inserção ou reinserção no mercado de trabalho. Esta formação é ministrada pelos ramos das Forças Armadas ou ainda pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e entidades credenciadas;
  • Certificação profissional Aos militares em RC que, no âmbito da formação ministrada pelas Forças Armadas, adquiriram conhecimentos ou competências para o exercício de determinada profissão têm direito à respectiva certificação da aptidão profissional que será titulada através do certificado de aptidão profissional;
  • Contingente especial de acesso aos cursos de formação profissional a realizar pelo IEFP Os militares que prestaram serviço em RC têm prioridade num contingente especial de 10% de acesso às vagas de cada curso de formação profissional a realizar pelo IEFP, mantendo este direito por tantos anos quantos aqueles em que prestaram serviço.

Sem comentários:

Enviar um comentário